A importância de brincar sem brinquedo!

Brincar é uma importante forma de comunicação. É por meio deste ato que a criança pode reproduzir o seu cotidiano, num mundo de fantasia e imaginação.

O ato de brincar possibilita o processo de aprendizagem da criança, facilitando a construção da reflexão, da autonomia e da criatividade, estabelecendo, desta forma, uma relação estreita entre jogo e aprendizagem.

Mas papais… Ao invés de encherem as crianças de tecnologias, brinquedos e objetos que já vem com uma determinada função, vocês já pararam para pensar que brincar sem brinquedo também pode ser uma opção divertidíssima e cheia de riquezas para seus filhos?

O brincar sem brinquedo da criança abrange o campo de imaginação, que estimula a sua criatividade ao brincar.

É mais importante o uso que se faz de um objeto e o tipo de relação que se estabelece com ele, do que próprio o objeto usado.

Nesta relação o foco está no significado da experiência para a criança. Então, dê a ela um objeto qualquer e quando ela for brincar criará uma fantasia fazendo com que aquele objeto se torne outro.

Um graveto, por exemplo, pode tornar-se uma varinha ou uma flecha, e um sapato tornar-se um trem ou um animal qualquer. A imaginação vive num campo de amplas alternativas.

Brincando, a criança aprende a transformar e a usar os objetos. Isso explica por que, muitas vezes, um urso de pelúcia velho e esfarrapado tem mais importância para criança do que um brinquedo novo e repleto de recursos, como luzes, cores, sons e movimento.

Neste brincar com a criança, é possível conseguir fazer com que elas tenham momentos livres de brinquedos prontos, o que é muito importante para manter a autenticidade da sua imaginação.

Ao contrário da maioria dos adultos, as crianças não precisam de instruções para brincar com coisas do cotidiano, pois elas possuem capacidade de tirar o lúdico de objetos normais.

O ideal seria que os adultos ajudassem a manter essa capacidade através do não excesso de opções de brinquedos com funções específicas, e não planejar tantas atividades, para que assim, a criança promova mais sua criatividade, o que acaba contribuindo para um desenvolvimento saudável.

“Deixar menos opções, muitas vezes, é abrir uma porta para a criatividade e uma vastidão de possibilidades.”

Um exemplo bem conhecido que não utiliza-se brinquedos, é o baú de tesouros. Ele contém uma variabilidade de materiais, como por exemplo, sacolas, utensílios de cozinha, caixinhas e materiais variados.

Esse baú oferece a criança a arte da invenção, sejam histórias, teatros ou outras coisas que a criança queira.

Papais… Devemos sempre lembrar dos cuidados com as nossas crianças. A vigilância para saber com o que elas estão manuseando, é fundamental! Além disso, a nossa participação também conta muito na brincadeira, fortalecendo cada vez mais os laços afetivos, e a união familiar.

Que tal hoje brincar com a criança, porém sem brinquedo? 😀

Participe da Discussão!

engajamentos