5 passos para lidar com o comportamento agressivo de seu filho.

Ensine seu filho formas para expressar suas emoções de forma adequada, inclusive a raiva.

A maioria das pessoas passam por situações desconfortáveis, incômodas e estressantes… Sentir raiva é natural, assim como outros sentimentos (medo, tristeza, frustração, por exemplo) Tanto para adultos, quando para crianças.

O que acontece na maioria das vezes é que os adultos já desenvolveram maior autocontrole sobre a expressão dos sentimentos e sobre seus comportamentos, pelas experiências vividas.

As crianças, no entanto, ainda não tem maturidade para lidar os sentimentos e sua forma de expressão pode aparecer em forma de comportamento agressivo, como: chutar, bater, morder, gritar, quebrar brinquedos, enfim, um conjunto de atitudes que acabam resultando em agressividade, sofrimento e problemas de relacionamento.

Se o seu filho tem uma tendência para este tipo de comportamento agressivo, você como pai ou mãe, pode ajuda-lo desenvolver a auto-disciplina e a capacidade de expressar seus sentimentos de forma apropriada com pequenas atitudes do dia a dia. Aqui estão cinco maneiras de fazer isso:

1. Definir e dar limites consistentes. As crianças precisam saber quais comportamentos são e quais não são permitidos. Certifique-se de que toda os envolvidos “falem a mesma língua” com a criança, ou seja, estejam de acordo com as regras e principalmente com a forma de responder aos comportamentos inadequados. A coerência entre os adultos e a parceria nesse processo é indispensável para mostrar para criança que todos se preocupam com ela, com seu bem estar e estão sabem seguros sobre a sua educação.

2. Ajude seu filho a encontrar novas maneiras de lidar com a raiva. Incentive-o a usar palavras para expressar seus sentimentos em vez de lutar com seu corpo. Além disso, outras técnicas podem contribuir para melhorar a relação entre comportamento e sentimento ( expressão criativa, riso espontâneo, atividade física, sono adequado). Não esqueça de elogia-lo e de enfatizar quando ele resolver situação de formas alternativas (não-agressivas).

3. Relacione o comportamento agressivo à consequência. Não deixe para ensinar ou cobrar bons comportamentos fora do contexto em que ocorrem. É importante deixar que as crianças experimentem as consequências do seu comportamento e que fique claro o motivo da desaprovação dos adultos.

4. Deixe o seu testemunho e mostre ao seu filho como você reage a algo que lhe desagrada, seja no trabalho, no transito, na família. Conte exemplos de como você resolveu os problemas e encoraje-o a aprender novas formas de se relacionar. (Você pode fazer isso através de desenhos, diálogo, dramatização com personagens, histórias, etc.)

5. Controle o seu próprio temperamento. Demonstre equilíbrio e estabilidade emocional quando for lidar com problemas. As crianças buscam referências o tempo inteiro e os pais são seus primeiros modelos. Eles se espelham no comportamento de seus pais. Desta maneira, se você expressar sua raiva de maneira razoável, ele provavelmente vai seguir o seu exemplo.

 

 

Participe da Discussão!

engajamentos