Meu filho não dorme sozinho! E agora?

Não existe uma situação ideal para o início do dormir sozinho. Cada criança tem seu tempo, suas vontades, e suas necessidades. Umas tem medo de escuro, outras já adoram. Há crianças que se adptam facilmente, e outras podem passar até meses tentando.

Nós, no papel de pai e mãe, não devemos desistir e se render ao cansaço de não aguentar mais levar a criança devolta para a sua devida cama a noite, e acabar cometendo o erro de trazer ela para a nossa. Isso resolve o problema momentaneamente, e acaba piorando a longo prazo.

Portanto, se nos esforçarmos para obter o mínimo de disciplina para que a criança tenha uma boa noite de sono em seu quarto, adquiremos um aprendizado riquíssimo que será levado para o resto da vida.

Associar a cama da criança a coisas boas é um bom primeiro passo. Decorar as paredes com os gostos da criança, brinquedos e etc, faz com que seu filho se sinta confortável e queira passar mais tempo em seu quarto.

Quando seu filho está ligado emocionalmente a objetos e brinquedos que se localizam no quarto, irá sentir-se mais seguro e confiante no seu espaço. Assim você acaba diminuindo a ansiedade que seu filho sente ao ficar longas horas sozinho, no escuro, e com sensações negativas, como por exemplo o medo de monstros. Tudo isso ajuda-o a lidar com seus anseios de forma positiva.

Outra dica seria praticar dentro do quarto, seja no chão ou em cima da cama, atividades lúdicas durante o dia. Dessa forma a criança sentirá que sua cama transmite segurança e proporciona lembranças boas.

Antes da hora de dormir, a troca de brinquedos que agitam como, Televisão, Vídeogame, celular, por brincadeiras mais calma como quebra cabeça, livro ou um jogo da memória auxiliam a criança a ter uma noite de sono mais tranquila.

Escolha algo simples, divertido e que entretenha seu filho. Ler uma história pode se encaixar nesses casos. O simples hábito de ler uma história antes de deitar pode ajudar a criança a sentir-se tranquila neste momento que muitas vezes está associado a insegurança de ficar longe dos pais ou receios do escuro, além de ser um caminho para a proximidade e intimidade entre pais e filhos.

Conversar com a criança sobre o dia que está terminando, e antecipar os bons momentos do dia seguinte, também auxiliam para uma boa noite de sono.

Crie uma rotina, um ritual para a hora de deitar. Estabelecer e cumprir um horário é essencial para a adaptação tanto da criança quanto dos pais em relação ao sono.

Baixar a intensidade das luzes da casa, diminuir o barulho, escovar os denter, vestir o pijama, ter toda a família na sintonia da preparação da casa para dormir… Isso tudo ajuda a dar “pistas” a criança de que é hora de sossegar, assim ela se sentirá menos tensa, pois estará ciente do que vai acontecer a seguir, e deitará com menos resistência, podendo até adormecer mais depressa. Mas lembre-se: Essas tarefas devem ser repetidas diariamente nos mesmo horários.

É compreensível que muitos pais chegam tarde do trabalho, e acabam deixando a criança ir mais tarde para a cama pra poder passar mais tempo com ela, mas, isso pode afetar muito sua agradável noite de sono.

Todos precisam de rotina, principalmente os pequenos! Não espere até ver seu filho bocejando ou esfregando os olhos, pois com a demonstração dessas aitudes, ele provavelmente já passou da hora. Coloque-o na cama antes disso. Até 15 ou 20 minutos de sono a mais podem fazer uma bela diferença.

Seja consistente no cumprimento das rotinas diárias! Muitas vezes, os pais também acabam abandonando esse tipo de rotina quando os filhos ficam maiorzinhos, porque acham que a criança não precisa mais ou porque simplesmente estão exaustos demais para pensar nisso.

Porém, isso tudo não se aplica apenas para nossos pequenos, mas também para os adultos, então dar continuidade as rotinas já adquiridas é um ponto importante, principalmente para a saúde.

Podemos dizer que um dos maiores problema de nós, pais, é quando a criança não aceita ficar em seu devido quarto.

Algumas durante a noite saem da sua cama e vão para a dos pais, outras fazem birra e não param de chorar. Saiba, que o melhor a se fazer é evitar o choro da criança! Quando elas começam a chorar por se sentirem inseguras ou com medo, e por fim não as acolhemos, cria-se uma sensação de abandono, e não é isso que gostaríamos que elas sentissem, certo?

Queremos crianças auto-confiantes e seguras de si! Se durante a noite situações como essas acontecem, leve a criança até o seu quarto novamente, e deite-a em sua devida cama. Quando ela se acalmar, desapegue-se aos poucos.

A criança irá ficar assustada com você saindo do quarto e deixando-a sozinha novamente, mas, o correto é sempre lhe afirmar que você está ali, presente!

Por exemplo: “Agora a mamãe/papai vai ali na cozinha beber um copo de água”. Ou,”Agora a mamãe/papai vai no banheiro. Mas eu estou aqui!”.

Os pais devem lidar com essas situação desmonstrando afeto, carinho e segurança, ouvindo atentamente a criança a fim de compreender o que exatamente a está assustando, e esclarecendo a ela com palavras simples e verdadeiras porque exatamente não há o que temer.

Transmitir segurança faz com que a criança sinta que pode superar o perigo! O medo só é diminuído quando a situação temida é enfrentada pouco a pouco.

A insegurança, a ansiedade da separação e o medo de perder os pais, por exemplo, são as dificuldades que levam o pequeno a querer dormir acompanhado dos pais.

A dificuldade em dormir sozinho é apenas um sintoma de outros problemas que estão acontecendo com a criança, portanto, esteja sempre ao lado do seu filho, dando-lhe apoio para enfrenter essa situação que para eles é muito difícil de ser vivida, mas quando superada, faz com que se sintam incríveis!

Participe da Discussão!

engajamentos