8 princípios de uma educação de valor: Objetivo!

Hoje temos clareza de que aprendemos e ensinamos comportamentos o tempo inteiro e que a nossa postura influencia diretamente o desenvolvimento infantil e a aprendizagem comportamental das crianças.

É certo que as referências mais significativas para o desenvolvimento infantil e para a educação das crianças são os pais. É a partir da relação familiar básica que se estabelecem hábitos, modelos de comportamento, características e valores que o ser humano replica na sociedade.

Eu quero verdadeiramente contribuir para que as famílias possam resgatar os valores fundamentais e a educação tradicional da nossa geração e geração de nossos pais, no que diz respeito a formação de um caráter firme e altruísta.

Concordo lógicamente que precisamos adaptar e conciliar alguns pontos com o contexto atual, que já não é o mesmo do que nós vivemos a nossa infância (e isso já faz algum tempo rsrs), no entanto, quero ressaltar que não podemos nos render a “modismo” educacionais e deixar a educação de toda uma geração a mercê de teorias e ideias de educação que se dizem modernas, mas que em nada contribui para o crescimento efetivo e desenvolvimento de pessoas ética.

Você encontra facilmente profissionais da área que sugerem que crianças precisam ter suas próprias opiniões, ter oportunidades de experimentar o que tem vontade e não devem ser cobradas ou repreendidas, muito mais direitos do que deveres… Qual é o retorno disso na prática? Toda uma geração de crianças indisciplinadas, adolescentes irresponsáveis e adultos inseguros que não conseguem estabilidade pessoal e profissional.

Tenho certeza que não é esse o plano que você quer para a vida dos seus filhos.

Hoje a sociedade sente falta daquilo que ela mesmo deixou de valorizar: A autoridade dos pais na condução da educação das crianças, famílias estruturadas e valores éticos respeitados.

Aprender a distinguir esses modismos de forma crítica e contextualizada é um dos objetivos desse curso, além disso ensinar aos nossos filhos que não precisamos, nem devemos nos curvar diante das exigências efêmeras do mundo moderno.

Assim como diz o ditado: “Troque suas folhas, mas não perca suas raízes; Mude suas opiniões, mas não perca seus princípios.” Ou seja, precisamos estar em constante aprendizado, movimento, mas aquilo que temos de mais maior valor – nosso caráter, nossos princípios – devem permanecer firmes no propósito de nossas vidas.

Ensinar sobre regras e limites é indispensável para o sucesso na educação familiar e principalmente na construção de um ser humano ético, criativo, seguro e respeitoso com o mundo o sua volta. Exerça o seu direito e responsabilidade, estabeleça limites claros para o comportamento infantil e cumpra-os. Estamos juntos nesses passos.

O objetivo de uma educação colaborativa é chegar a um ponto onde você possa desfrutar do papel pai ou mãe com tranquilidade e realização. Ao mesmo passo, que seus filhos possam se sentir satisfeitos em desfrutar da sua presença ao invés da companhia de brinquedos, Tv ou eletrônicos.

Queremos, acima de tudo, criar um clima emocional que incentive as crianças a cooperar porque elas se preocupam com elas mesmas, porque se preocupam com os outros (pais, professores, familiares, amigos) e porque são pessoas éticas, solidárias, fortes e felizes.

Participe da Discussão!

engajamentos